domingo, 8 de fevereiro de 2015

Meus amigos, também.

Olás...


Esses dias me dei conta de que já vivi rodeada de animais, desde a infância. Eram tantos, de muitas espécimes. Do cachorro vira-lata às galinhas, galos, patos e porcos. No interior, onde vivi até quase a adolescência era assim, em toda casa convivíamos com esses animais, no mínimo.

Quando vim para a capital, o apego aos bichinhos só aumentou. Coincidiu de conviver com uma pessoa que também era maluco por eles. Em nossa casa moravam: cachorros (muitos), papagaios, arara, cabra (e depois nasceu cabritinho), macaco, passarinhos, peru, galinha (cega de um olho e andava de patins), bicho-preguiça e coelhos.

Mais tarde, quando tínhamos o sítio, a "família" aumentou para mais galinhas, galos, porcos e a égua de nome Linda, que, ao fugir para o sítio vizinho, voltou "grávida" da Lindinha (foto abaixo).

Uma das coisas que lamento por não morar em interior é não poder mais conviver com tantos animais de estimação. Infelizmente, ao fazer uma analogia entre animais racionais e irracionais, cada dia percebo que a convivência com esses últimos é bem mais tranquila e harmoniosa. 


Lindinha, à esquerda, fruto de uma fugidinha ao sítio do vizinho.
À frente da Lindinha, o "ex", que autorizou a publicação da foto

Agora, só nos fazem companhia a Lolita (conosco há 5 anos), e a Nicole Kidman (há um ano)


Mamãe Coruja

5 comentários:

  1. Galinha de patins é que nunca vi :O)

    ResponderExcluir
  2. A galinha era da minha filha, Maíra,ainda com 3 anos. Um chamego só, as duas. Elas brincavam (ou melhor, a galinha era "manipulada" a brincar) de andar de patins. Tem foto no álbum de família. rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Vez por outra pegamos esses álbuns e vamos rever as lembranças. rss
      Beijos
      Obrigada pela visita, querida.

      Excluir