quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Prêmio Nobel: Seria a expiação da culpa?

Olás...


Senhoras e Senhores, o Prêmio Nobel da  Paz 2014 vai para...?

São 278 candidatos indicados ao Prêmio. Nunca foram tantos. De uma certa forma,  analiso isso como significativo. Afinal, muitos estão fazendo TUDO  pela PAZ!

Mas não é bem assim. Alguma coisa anda errada nisso tudo. Putin, presidente da Rússia, um dos candidatos ao Prêmio, é personagem principal do recente conflito na Ucrânia. 

O ex-analista da Agência Nacional de Segurança dos EUA, Edward Snowden, também está na lista dos indicados. Snowden decidiu correr os  riscos de revelar a existência dos programas de vigilância e espionagem mundial do Governo dos Estados Unidos da América, cujo presidente é Barack Obama, que também já recebeu o Prêmio Nobel  em 2009, por seus esforços - disseram os especialistas há época- para reduzir os estoques de armas nucleares e por seu trabalho pela paz mundial.

A jovem paquistanesa Malala, minha favorita, é outra entre os 278. Quem não se sensibilizou com essa criança - sim, uma criança, nos seus 11 anos - , que em 2009 iniciou a luta pelos direitos à educação e o direito das mulheres, onde meninas são proibidas de frequentar escolas? Suas falas foram ouvidas no documentário  do The New York Times sobre sua vida e as condições impostas pelo regime do Talibã.

Infelizmente, há exatos dois anos, em 09/10/2012, quando Malala voltava para casa em um ônibus escolar,  foi baleada na cabeça e pescoço em uma tentativa de assassinato por talibãs armados. Sobreviveu.

Sua primeira aparição pública,  após o triste episódio, foi  no dia 12 de julho do ano passado, já com 16 anos de idade. E comemorou seu aniversário discursando na Assembléia da Juventude, na Organização das Nações Unidas, Nova York (EUA).

Para mim, o texto a seguir, de parte de seu discurso, di per si,  já lhe daria - com merecida honra - o Prêmio Nobel da Paz: "... Vamos pegar nossos livros e canetas. Eles são as nossas armas mais poderosas. Uma criança, um professor, uma caneta e um livro podem mudar o mundo. A educação é a única solução..." (grifos meus).

Isso, certamente, é buscar a PAZ, sem as guerras bélicas.

Alfred Nobel, outro caso à parte. É o idealizador do Prêmio Nobel. Antes de morrer, sem o conhecimento da família, indicou no testamento que fosse criada uma fundação, com o objetivo de premiar, anualmente, pessoas que mais tivessem contribuído para o desenvolvimento da Humanidade.  E sua vontade foi cumprida: em 1900 foi criada a Fundação Nobel.

Químico que era, passou a desenvolver a nitroglicerina como explosivo (descoberta por outro jovem químico italiano). Em uma dessas explosões experimentais, acaba perdendo um irmão. 

A partir da nitroglicerina, Alfred Nobel consegue inventar a DINAMITE!

A partir de então, apesar dos benefícios à engenharia civil, por exemplo, as tragédias e os estragos provocados  pelo explosivo foram em maiores proporções. 


A Fundação Nobel, a instituição dos Prêmios, entre eles o Prêmio Nobel da Paz, seria uma espécie de expiação da culpa?

Quem, de fato, está promovendo a PAZ e mantendo esses esforços?  Ou o Prêmio está se tornando um objetivo com interesses políticos?



Mamãe Coruja






9 comentários:

  1. "Tornando"?! Tem sido o Prémio Nobel da Política.

    ResponderExcluir
  2. Acabo de ver o noticiário. E estou completamente feliz!!!!

    Malala ganhou o Prêmio Nobel da Paz!

    Merecidamente!

    ResponderExcluir
  3. "Noé"?
    Mereces um beijo.... toma lá----------------> ♠

    ResponderExcluir
  4. Um beijo na ponta de uma seta? As índias são um perigo ;O)

    ResponderExcluir
  5. Se não queres... devolva-me. Tenho a quem dar esse beijo.

    (-:

    ResponderExcluir
  6. É uma seta, não é um boomerang :OP

    ResponderExcluir